sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Taberna Lusitana

Há muito que o Mercado de Matosinhos vem tendo nova vida, seja pelo Espaço Quadra, pela incubadora de Design existente no piso superior, ou pelas tasquinhas que por lá aparecem.
Infelizmente não é um espaço tão falado quanto deveria. Hoje em dia parece que o Porto é baixa, só. Já por aqui temos tentado mostrar outros espaços que embora não estejam no centro do Porto são também eles fantásticos e merecem ser visitados, como este e este.

E o Mercado de Matosinhos não é como o Mercado da Ribeira em Lisboa, nem como o do Bom Sucesso aqui no Porto. É um mercado que se tem construindo aos poucos e que tem conseguido manter a sua identidade, com o mercado de peixe e legumes que se mantém activo.

E se tivermos no Mercado de Matosinhos uma tasquinha onde podemos escolher o peixe na banca do mercado e comê-lo de seguida?



Pois é exactamente isso que acontece na Taberna Lusitana. E com muita pena minha não foi essa a minha experiência porque ao jantar, claro, não existe esse serviço. Mas é óptimo saber que essa é uma possibilidade que de certeza nos vai obrigar a voltar lá a uma qualquer hora de almoço!

O espaço é bem simples. Com algumas quinquilharias antigas, toalhas de mesa em xadrez como dita a tradição e mobiliário rústico. A vista é nada mais do que o próprio mercado, com uma parede toda envidraçada para lá e outra para a rua.






Ao jantar as opções são à base de petiscos como chouriço assado, montaditos, camarões grelhados, tábuas de queijos ou presunto, bem ao jeito de uma pequena tasca tradicional.
E foi assim mesmo que começámos a refeição, pelo chouriço assado, os montaditos e a tábua mista.
E não começámos nada mal. Sobre o chouriço e a tábua não há nada a dizer, os montaditos estavam muito bons. Experimentei o de atum fresco braseado, sobre tomate aos pedacinhos pequenos, e o de alheira com bacon. Os dois bons, nada do outro mundo.


E o outro mundo estava prestes a chegar em tamanho XXL: a sande Tender Beef Chunk, a especialidade da casa.
E esta não é uma sande qualquer. É talvez a maior sande que já vi. E por norma não gosto dessas coisas. A maior francesinha, o maior bolo, de que servem ser os maiores se não forem bons?
Pois que esta sande não só é a maior como provavelmente a melhor que já comi.
O pão é feito na casa e é também ele um elemento importantíssimo da sande.  A carne, black angus, é grelhada e fatiada, bem suculenta e tenra, em cama de tomate temperado. Por cima da carne, a dose ideal de alface e rúcula. Esta é uma sande que demora cerca de 20 minutos a ser feita. Parece que é aí que está o segredo, para que a carne possa repousar no próprio pão.

Claro que esta é uma sande para duas pessoas, e depois das entradinhas que tínhamos comido foi mesmo uma sande para quatro.







Para terminar, um bolo de chocolate que, digam o que disserem, não consegue deixar no esquecimento a sande que o antecedeu. E a conta, que não assusta, muito pelo contrário, surpreende pela positiva! Os preços não são nada caros por isso é mesmo um sítio para desfrutar da comida sem grandes preocupações... apenas com as calorias!




m.*

2 comentários:

  1. Sem dúvida um sitio a guardar na listinha de sitios a visitar numa próxima visita ao Porto :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sande é mesmo uma delícia, vale a pena experimentar! **

      Eliminar

© dois igual a três - 2013. all rights reserved. Tecnologia do Blogger.