quinta-feira, 14 de maio de 2015

Roteiro: São Miguel

Visitar os Açores nunca foi prioridade para mim. Sempre quis visitar o máximo de cidades europeias possíveis, cidades cosmopolitas, que mexem, em que a cada segundo acontece alguma coisa de diferente, onde queremos ir a todos os sítios mas não conseguimos... onde nos cansamos de correr a cidade de uma ponta à outra e ficamos deliciados por estar noutro país, ouvir outra língua, viver outra cultura. Desta vez foi diferente. O destino escolhido foi o mais pacífico possível, uma viagem de natureza, de descanso. E foi bom, muito bom! 5 dias em São Miguel!

São Miguel recebeu-nos de braços abertos, depois de uma viagem Ryanair pacífica, num final de tarde bem solarengo e que rapidamente comprovava a existência das 4 estações num dia só, com o pôr do sol a terminar com umas pingas que ameaçavam um dia seguinte bem pior. Foi praticamente o tempo de alugar um carro e sair do aeroporto e puf, foi-se o sol, vieram as nuvens.

Definimos desde cedo que esta ia ser uma road trip para podermos conhecer a ilha de uma ponta à outra. Por desleixo não alugámos o carro com antecedência mas não fez qualquer diferença. O aeroporto tem várias rent-a-car e os preços não variam das reservas online.
E como em road trip que se preze estamos sempre de um lado para o outro, andámos a saltar de hotel em hotel para não ter que regressar ao mesmo sítio todos os dias. Apesar da ilha ser pequena não é muito agradável fazer sempre as mesmas estradas, entre montanhas e curvas constantes, dias e dias a fio, para na manhã seguinte nos fazermos à mesma estrada.

Hoje partilho convosco pontos que visitei e que são obrigatórios numa ida a São Miguel, assim como algumas dicas que vos poderão ser úteis quando estiverem prestes a visitar este paraíso perdido algures no Oceano Atlântico.
Antes de se fazerem ao caminho, duas dicas! Instalem a app VisitAzores, pode ser uma óptima ajuda não só com mapa, restaurantes, sítios a visitar etc. Mas aquilo que deu mais jeito de tudo foi o site www.spotazores.com! Aqui podem ver todas as câmaras espalhadas pela ilha (e outras ilhas também) e ver como está o tempo em cada canto. Qual é a vantagem? É que estando mau tempo no sítio onde estão rapidamente conseguem saber onde está o sol e ir atrás dele! Usámos isto durante toda a viagem! Foi óptimo! Contem só que nem em todo o lado terão rede de telemóvel por isso nem sempre conseguirão aceder à internet!

1- As plantações de Ananases!!
É verdade, eu sou maluquinha por ananases... pela imagem do ananás... pelo tropical que ela nos traz! Mais fã da sua imagem até, do que do seu sabor, que se for um nadinha ácido já não tolero! Tolerâncias alimentares à parte, este foi quase o primeiro sítio que visitei em São Miguel. E é tão giro!! As estufas estão repletas de ananases em diferentes fases de crescimento e lá senti-me em casa! :p Para além de dar fotografias giríssimas, a estufa que visitei tinha uma loja incrível com imensos produtos caseiros que utilizam o ananás como o licor, vinagre e até mesmo caril de ananás! Claro que isso trouxe comigo para casa! É maravilhoso e nunca tinha visto em lado nenhum por aqui!




2- Mercado de Ponta Delgada
Provavelmente o único lugar de interesse desta cidade. Tenho mesmo que ser sincera, odiei Ponta Delgada! Talvez pelo tempo não ter estado no seu melhor e por não existir céu azul, na memória ficou uma cidade feia, escura, triste. Talvez pela Ryanair me ter obrigado a permanecer nesta cidade uma noite extra, seguida de um dia de alerta amarelo, feriado, onde tudo estava fechado à excepção de hotéis, restaurantes e cafés. O mercado foi mesmo o meu refúgio!
Não guardem esta visita para uma segunda feira, neste dia são poucas as bancas que estão operacionais e não podem apreciar o mercado do peixe que é fantástico, com peixes bem exóticos, de cores que nós não temos por cá.
Aproveitem para comprar ananases e anona! É o melhor sítio para isso!






3- Fábrica de Chá Gorreana
Não há muito a dizer sobre a Fábrica de Chá da Gorreana. Só que tem uma informalidade fantástica na visita. Não existem visitas guiadas, não se paga a entrada e literalmente entra-se pela produção de chá dentro! A visita faz-se rápido e é engraçado poder vê-los trabalhar! Este é o sítio indicado para comprarem o famoso chá (é mais caro nos outros sítios!) e podem também bebê-lo lá, com vista para a plantação!





4- Furnas
É local de visita obrigatória e vale a pena. Os mais sensíveis a cheiros certamente não irão gostar do cheiro a enxofre mas por acaso não me incomodou. Podemos andar por entre as aberturas com a água a fervilhar por baixo de nós e é uma sensação um bocadinho estranha. Aquilo não pode rebentar a qualquer momento?






De molho:

1- Ponta da Ferraria
Este foi talvez o lugar mais especial, mais incrível e mais arriscado até, onde estive! Em primeiro lugar para chegarmos à Ferraria temos que descer a montanha, numa estrada arranjadinha até, mas que não deixa de ser bastante íngreme e cheia de curvas! Lá no fundo espera-nos um pedacinho do paraíso! No meio das rochas vulcânicas há uma espécie de mini baía onde podemos aceder através de umas escadas tipo piscina (bem escorregadias!!) e lá em baixo uma água do mar quentinha quentinha, que vai sendo refrescada pelas ondas do mar que por ali entram! Quando lá estive o mar não estava propriamente calmo por isso tenho que confessar que todo o tempo que estive naquela sopinha, não larguei uma corda que existe lá para não nos deixar ir com o mar! Mas posso revelar também que a sensação de estar ali é única! Eu tive medo quando cheguei! Aquele medo de não saber com o que contar... não saber a profundidade, ver tudo preto, não saber a temperatura da água, não saber se as ondas me levavam! Não levaram! Cheguei inteirinha! E feliz! :)
P.S.: As fotos não fazem justiça ao espaço. Lamento, têm que comprar uma viagem para comprovarem com os vossos olhos!






2- Caldeira Velha
É um espaço incrível! No meio da montanha, entre árvores tropicais, palmeiras, e chão vermelho em contraste com todo aquele verde, há uma pequena queda de água que desagua num lago de cor opaca com água morna, muito, muito boa! Foi muito estranho entrar pela primeira vez numa água desta cor... o dilema é óbvio: não ver o fundo, não ver o que pisamos! Mas é óptimo! Pode estar frio cá fora que a água está óptima! É um sítio obrigatório! A entrada neste parque custa 2 euros por pessoa. São poucas as coisas em que se paga em São Miguel, mas pelo que fomos percebendo esta é a melhor forma de conseguirem manter os espaços limpos e são dois euros que valem a pena, mesmo!!





3- Parque Terra Nostra
O Parque Terra Nostra está localizado nas Furnas. É enorme e muito bonito, aliás como qualquer parque nos Açores. O contraste da vegetação tropical com flores mais românticas é giríssimo. É nestes sítios que nos sentimos num país diferente... bem longe de Portugal, onde sentimos uma humidade mais forte e percebemos que estamos num sítio Tropical! Mas é também aqui neste parque que se encontra o melhor sítio para ficar de molho! O parque tem um lago bem grande, onde a água é uma verdadeira sopinha, a mais quente dos sítios por onde passei. Água laranja. Opaca. Sim. Este foi exactamente aquele sítio que vi quando estava a preparar a viagem e disse de imediato "ninguém me apanha lá dentro!" Porque é estranho! Devo ter proferido a palavra "nojento" em algum momento da minha pesquisa de certeza. Mas a verdade é que não é nada disso! A água é óptima! E faz muito bem à pele! Fui a esta sopinha dois dias, e estou a pensar seriamente lá voltar num futuro próximo para me enfiar ali dias inteiros para uma pele perfeita! Em Agosto do ano passado tive um episódio menos feliz cá em casa em que me queimei e tive que fazer uma cirurgia plástica ao braço e à mão e a verdade é que sinto a pele muito melhor depois de ter estado nesta água. E mesmo para quem não tem um problema deste género posso assegurar que a pele fica mesmo macia!
Em dias de frio é ainda melhor desfrutar deste lago, com calor deve ser intolerável! E é sempre giro ver o vapor a sair da água por causa da diferença de temperatura!





As lagoas:

Não visitei todas as lagoas da ilha de São Miguel, o nevoeiro não permitiu. Mas deixo-vos a minha opinião daquelas que tive a oportunidade de conhecer.

1- Lagoa de São Braz
Começo pela mais pequenina mas não menos interessante! Parece quase um lago, com alguns patos a passearem por lá, amorosos e que se aproximam de nós com muita facilidade. A lagoa tem num dos lados uma área arborizada e do outro o caminho de acesso, com uma vista fantástica. Não deixem de visitar!



2- Lagoa do Fogo
Tão depressa a vi como no segundo a seguir já não existia! Com algum nevoeiro e muito vento, estas fotos foram tiradas com uma diferença de cerca de 10 minutos da lagoa de São Braz e a diferença metereológica está à vista! Mal lá cheguei a primeira coisa que fiz foi fotografar. Quando tirei os olhos da câmara já não havia lagoa para ninguém! A avaliar pelo que consegui ver é uma lagoa muito bonita, bem grande e de água mais clara que as outras! Neste ponto supostamente num dia bom dá para ver o mar. Não foi o nosso caso!



3- Lagoa das Furnas
É lindíssima!As estradas que nos levam até lá são fantásticas, muito bem cuidadas, com apontamentos de flores cor de rosa aqui e ali. A vista lá de cima é maravilhosa! Esta é uma lagoa mais poluída que as outras pelo que não são permitidos banhos. A proximidade de terrenos de agricultura e gado assim o obrigam... infelizmente!



4- Lagoa das Sete Cidades
Este é o maior lago de água doce dos Açores. A Lagoa das Sete Cidades é constituída por duas lagoas, unicamente separadas por uma ponte: a Lagoa Azul e a Lagoa Verde. E a história destas duas lagoas é engraçada! O nome delas deve-se precisamente à coloração da água de cada uma que, apesar de se unirem, são completamente distintas: azul e verde. A lenda diz que uma princesa se apaixonou por um pastor. Essa relação foi impedida pelo rei e os dois apaixonados choraram tanto que formaram duas lagoas com a coloração dos seus olhos. A lagoa azul da cor dos olhos da princesa Antília e a lagoa verde da cor dos olhos do pastor! É muito amor! :)


O que comer:



1- Cracas, cracas, cracas!!
Já muito tinha ouvido falar sobre esta delícia dos mares. O aspecto é estranho! Parece um bichinho que se esconde nas rochas! Cada olhinho tem um bichinho lá dentro, que temos que tirar com um ganchinho. O sabor é maravilhoso. É o marisco que sabe mais a mar que eu já experimentei! Semelhante a percebes mas melhor ainda! Como é possível?!
No restaurante que fomos deram-nos uma palhinha para beber a água que fica dentro de cada craca. É bom, mesmo!

2- Cavaco
Experimentámos no mesmo restaurante e é bom mas fica muito, muito longe das cracas! É uma espécie de lagosta, devem ser da mesma família! E pode ser comido cozido ou grelhado. Fomos aconselhados a comer cozido, segundo o senhor que nos atendeu é a melhor forma de apreciar o seu sabor. É servido com um molho semelhante ao molho verde, à parte, mas que quanto a mim é dispensável porque tira todo o sabor ao cavaco.

3- Lapas
Esta é aquela iguaria que se encontra ao longo de toda a ilha, em mil restaurantes, em qualquer parte! E é merecedora de ser experimentada porque é óptimo! Eles servem as lapas na chapa, ainda a fervilhar, com limão. É um bom petisco!

4- Bife
Para qualquer lado que se vá, em toda a ilha, há vacas. Muitas. E elas pastam felizes naqueles montes,  comem o dia todo, ao final do dia regressam a suas casas e interceptam-nos na rua para as deixarmos passar. Como tal não há como evitar provar os bifes dos Açores. À regional ou de qualquer outra forma são bons. Fritos, com molho, tenros, acompanhados de batata frita.

5- Bife de atum
O bife de atum também de vê muito por lá e vale a pena experimentar!

6- Cozido das Furnas
Não íamos com a obrigação de comer o cozido das Furnas mas, uma vez naquela terra, não há como evitar. Não é melhor que o nosso cozido, mas é típico, teve que ser! Os cozidos são colocados entre as 5 e as 6 da manhã e lá ficam, no seu buraquinho, entre 6 a 8 horas a cozinhar. Para o jantar a fornada repete-se. O problema aqui é que o cozido é tirado com muita antecedência. Ou seja, se formos almoçar às 13h30 vamos apanhar o cozido que saiu por volta das 11h30, 12h. Isto significa que não vai estar tão suculento como devia, as carnes vêm já um bocadinho secas. Por isso aqui o truque é ir o mais cedo possível para poderem comer o cozido mal chegue ao restaurante. E convém reservar.

E terminado aquele que é até hoje o post mais gigante que fizemos, onde é que devem dormir? Como podem calcular, já não há espaço para tudo aqui, por isso abaixo deixamos o link para 3 sítios magníficos onde podem relaxar depois de visitarem a ilha de uma ponta à outra!

Furnas Boutique Hotel - aqui

Sete Cidades Lake Lodge - aqui

Lake View House - aqui

Para jantar não deixem de ficar com uma sugestão deliciosa, com pratos para todos os gostos naquele que considerei o melhor restaurante da ilha:

À Terra - aqui

m.*





15 comentários:

  1. depois de ver estas fotografias fui logo ver vôos. fiquei com uma vontade enorme de ir conhecer e passear por essas lagoas! só conheço a madeira, nunca fui a nenhuma ilha dos Açores e tenho muita vontade. que sítios lindos! Ah! e Cracas! já as comi por cá e parece que estamos a comer mar :P é uma sensação inexplicável!

    obrigada pela inspiração, beijinho *
    Joana Afonso ~ we are love addicts

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Joana não imaginas como é bom ler um comentário assim! Agora com Ryanair e Easyjet é bem mais fácil (e barato!) voar até lá! Vale muito a pena, tem sítios magníficos! Pena o tempo não ser mais estável! Aliás, nota-se bem isso nas minhas fotos... quase sempre nevoeiro e de vez em quando um céu azul azul!

      Quanto às cracas preciso muito saber onde se comem por cá porque nunca tinha visto e fiquei fã! Para quem adora marisco como eu não pode haver melhor mesmo! :)

      m.*

      Eliminar
  2. Assim que a Ryanair lançou a promoção para os Açores falei logo com o Miguel. Tal como tu, não é um destino que estivesse de imediato na nossa lista de prioridades. Mas a verdade é que, com tantos amigos de faculdade dos Açores e uma vez que já conheço muito bem a Madeira (visto que tenho lá família — embora não vá lá há muito tempo), a ideia de ir aos Açores soou-nos logo a delícia! Por agora já temos Paris marcado e Dublin na eminência mas...lá está, se houver outra campanha assim, acho que não hesitamos! :) um fim-de-semana achas que chegaria?

    Um beijinho enorme, prima
    Sara Cabido | Little Tiny Pieces of Me

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que um fim de semana dá perfeitamente. Acaba por ser tudo muito pertinho. O inconveniente de ir poucos dias é que se apanhas mau tempo não vês nada... quantos mais dias fores maior a probabilidade de ter sol mais tempo! :)
      E alugar carro é essencial, porque se estiveres dependente de excursões não há poder de manobra nenhum!

      *

      Eliminar
  3. Está marcado, 17 a 21 de Julho. Obrigado pelas dicas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom! É tão bom saber que ajudamos outras pessoas em decisões tão boas como é ir de férias! :)

      Eliminar
  4. Adorei este post! Nunca fui às nossas ilhas, mas é algo que tenho de fazer em breve, muito breve! E agora já nem temos a desculpa dos vôos extra caros :) obrigada pela partilha!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ficamos contentes que tenhas gostado Catarina! :) Agora não há mesmo desculpa para não conhecer os Açores! Finalmente parece que estamos mais perto!

      Um beijinho *

      Eliminar
  5. Estas fotografias são mesmo convidativas. Depois disto ia agora mesmo embora nunca tenha sonhado viajar para São Miguel.
    Beijinhos,

    http://atualidadesbyclaudia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  6. Excelente! Fotografias TOP parabéns.. Vou agora 4 dias em Janeiro (sei que não é o mês ideal mas estavam tão baratos os voos que comprei sem pensar :) vou seguir o roteiro obrigada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Rita! :) Janeiro só poderá ser mau na hora de regressar e estar tão mau tempo que não há aviões na ilha... foi o que me aconteceu em Maio!! :p Mas como vês pode acontecer em qualquer altura do ano... e a ilha é linda mesmo, com sol ou com chuva! :)

      Um beijinho e boa viagem! *

      Eliminar
  7. Marta,
    Lembra-se qual era a "temperatura média" que esteve por esses dias?
    Tenho imensa vontade ir conhecer esse verde!!! :)

    http://umolharviajante.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Tânia!
      Não lhe sei dizer um número mas há efectivamente as 4 estações num dia só. Não tive frio, o clima é muito húmido, por isso a minha roupa fez-se à base de tops ou blusas frescas, casacos de malha e um casaco de chuva. Aconselho andar sempre com fato de banho e toalha de praia atrás porque há sítios magníficos para uns mergulhos, como piscinas naturais ou quedas de água, que mesmo em dias cinzentos e de chuva são maravilhosos! A água é quentinha por isso até sabe melhor em dias mais frescos! :)

      m.*

      Eliminar
  8. Boa tarde, excelente.
    É possível passar-me algum roteiro para a ilha? Durante o Fim de semana?
    Vou no final do mês.

    ResponderEliminar

© dois igual a três - 2013. all rights reserved. Tecnologia do Blogger.