segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Shaped with Love


Numa altura em que a joalharia portuguesa tem cada vez mais reconhecimento, nunca é demais falar sobre este tema que, quem nos acompanha sabe, é o elo de ligação entre nós as duas. Foi no início deste mês que tivemos a oportunidade de, mais uma vez, visitar a Portojóia, maior feira do sector em Portugal. E, tal como tínhamos referido por este post, não fomos apenas como visitantes mas, sobre isso, levantaremos o véu um bocadinho mais à frente. :)

A Portojóia é sempre um bom sítio para espreitar as novidades no mundo da joalharia, seja de grandes marcas presentes no mercado há dezenas de anos como de marcas mais pequenas que se pretendem afirmar de forma muito individual e detalhada, trazendo sangue novo a um sector com tanta tradição.

Dos materiais nobres aos mais inusitados, mais uma vez deixamo-nos render pelas marcas presentes no espaço newborn e hoje trazemos um cheirinho do que por lá nos conquistou. Tantas e tantas peças ficaram por mostrar, de marcas que já fazem parte do nosso universo da joalharia há algum tempo, e oportunidades não irão faltar para vos apresentarmos essas marcas melhor.

Uma das novidades desta edição foi a presença de uma marca acabadinha de nascer, a Mmutt. Da mesma criadora da Mimata, Joana Mieiro, a sua presença não passou despercebida com peças em prata que de imediato entram pela retina de quem por elas passa. O contraste de cores e materiais é uma delícia, com um toque de irreverência e formas tão práticas que só podem vir a fazer parte do nosso dia-a-dia.




Este ano, pela primeira vez, foram atribuídos prémios aos melhores criadores. O designer revelação não é uma novidade para nós que já tínhamos sido conquistadas pelo Romeu Bettencourt e pelas suas peças há algum tempo. A simplicidade das formas e a precisão da sua construção espelham na perfeição aquilo que já conhecemos do seu criador.




A Inês Araújo foi uma surpresa para mim, muito embora a L. já a conheça há mais de uma década. Não pude ficar indiferente aos seus anéis, que apesar da sua imponência são do mais confortável para uma mão feminina. 






As peças da Ana Pina e da Ana João já fazem parte da minha wishlist desde o primeiro momento em que tive contacto com as jóias das suas marcas. Por motivos completamente opostos conquista-me a simplicidade de uma e o jeito kitsch da outra.

Foi também nesta edição que tive, finalmente, o prazer de conhecer pessoalmente a Iglezia, marca que há tanto tempo seguia pelas redes sociais e que ainda assim conseguiu surpreender pela mensagem que cada peça transmite. De colares que são quase como amuletos a coleções com cariz social, é impossível ficar indiferente às suas peças. Se a isso pudermos acrescentar uma coleção de anéis personalizados com datas especiais, é irrefutável a ideia de que as jóias são eternas.









Não podemos terminar este post sem referir que a joalharia portuguesa está bem e recomenda-se. Dúvidas houvesse, a prova disso é a nova campanha desenvolvida pela AORP, Portuguese Jewellery Shaped with Love, pela qual a conhecida atriz Milla Jovovich dá a cara.
Não tínhamos dúvidas que a joalharia portuguesa é das melhores do mundo, temos a certeza que agora está preparada para o conquistar!


m.*

Sem comentários:

Enviar um comentário

© dois igual a três - 2013. all rights reserved. Tecnologia do Blogger.