terça-feira, 29 de março de 2016

Em jeito de desabafo #4




Longe vai o tempo em que TAP era sinónimo dos mais dignos adjectivos para classificar uma companhia aérea. Como sabem, se há coisa que adoramos é viajar, quer seja em família, trabalho ou lazer, e fazê-mo-lo várias vezes por ano, muitas delas (infelizmente) com a TAP.
Nos últimos anos coleccionamos uma lista infindável de queixas e aborrecimentos com esta companhia. Dos recorrentes atrasos e consequentes perdas de voos, das greves e seus constrangimentos, das alterações súbitas de horários, até às situações de overbooking com consequências que um voucher de almoço certamente não paga.

A nossa companhia de bandeira, que de bandeira já só tem as cores e às vezes já bem desbotadas, tem vindo a piorar o seu serviço a cada ano que passa e vive de uma credibilidade que só as cabeças com melhor capacidade de memória lhe conseguem atribuir. Eu sinto-me um desses saudosistas, que sente sempre uma sensação de conforto quando lê TAP no seu bilhete, mas que acaba sempre por se desiludir ainda antes do embarque.  Hoje não foi excepção. 

Passaram apenas dois dias, desde o momento em que o Porto perdeu 74 dos seus voos semanais, recebendo em troca a inauguração desse super projecto que é a "ponte aérea" Porto-Lisboa. Dois dias apenas, o suficiente para já ser possível provar o sabor amargo desta decisão. 

18 voos diários... dizem eles. Um número grande mas que nem chega a ser suficientemente redondinho, para "atirar areia aos olhos" daqueles a quem tiraram dezenas de voos diários directos. Hoje, para voar para Roma, que é mesmo aqui ao lado, fui obrigada a ir respirar os ares da capital. E respirar mas pouco, mesmo muito pouco, porque de tão atrasado que chegou o voo do Porto, só tive tempo para correr meio aeroporto, quase sem fôlego, para não perder o voo de Roma. E não, não o perdi, mas não foi pelas minhas capacidades de running, não perdi porque a TAP, para compensar os atrasos da TAP, faz esperar e desesperar o resto dos passageiros dos voos de ligação da TAP. 

Sim, é uma realidade que nos tiraram os voos directos do Porto, mas não pensem, nunca, que a solução passa por apanhar um aviãozinho desses da ponte aérea que a TAP construiu especialmente para nós! 
Primeiro o voo era a uma determinada hora, mas como não devia compensar levantar com a meia dúzia de pessoas que lá estavam, o que é que se faz? Atrasa-se o voo mais de uma hora, junta-se estes passageiros aos do voo seguinte e depois lá seguem eles, todos juntos, num voo que até parece cheio!!  Somem a este atraso o tempo do check-in e acreditem que até na RENEX eu tinha chegado a Lisboa a horas, sem me ter levantado tão cedo. Já para não falar do conforto, esqueçam se alguma vez me ouviram dizer que enjoo em camionetas, que o alfa balança muito ou que a ryanair é um desassossego de músicas e propagandas. Esqueçam! Este voo foi tão, mas tão mau, que me fez desejar ter ido para Lisboa em qualquer uma das outras opções. Um avião sem explicação, a oscilar de altitude constantemente e a balançar com a mínima brisa, um avião de hélices a fazer um barulho ensurdecedor, que me fez questionar onde estariam os head-phones para proteger os nossos tímpanos. Escusado será dizer que conversar com a única pessoa que segue ao nosso lado, só seria possível por gestos. Uma viagem que, ao contrário do que era habitual, agora demora uma hora a fazer-se... Uma viagem que vale tudo menos a pena! 

Tínhamos dito de manhã que esta era uma terça boa, só o deveríamos ter dito assim que o dia acabasse! 

L. <3


4 comentários:

  1. Para a próxima voe do Porto para Roma, na Ryanair. O aeroporto onde a Ryanair aterra tem excelentes ligações para Roma. Só voou na TAP porque assim o escolheu. Para a próxima, não aumente o tráfego de passageiros na Portela. Simples!

    ResponderEliminar
  2. Temos uma excelente ponte aérea da Lufthansa para Frankfurt e dali para todo o mundo. Lisboa fica aonde e serve para quê?

    ResponderEliminar

© dois igual a três - 2013. all rights reserved. Tecnologia do Blogger.