quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Cruel(íssimas)



Nem sempre revelamos por aqui o nosso lado cruel... parece-nos sempre mais interessante falar de coisas bonitas do que revelar o nosso lado mais obscuro. Mas todos temos um, certo?
E por muito que a crueldade seja um sentimento sujo, é daqueles que até dá algum prazer... Por algum motivo que desconhecemos há na maldade algo de muito bonito e tentador a que nem sempre conseguimos resistir. E no fim de semana que passou fomos conduzidas por caminhos rebeldes, ásperos, e hoje não nos apetece outra coisa que não ser cruel.

Foi há pouco mais de um mês que abriu no Porto um novo espaço, Cruel. E foi mesmo por lá que passámos, tal era a tentação de provar as crueldades que por lá se servem. O nome do restaurante não vem mais a propósito. O que podemos degustar é uma verdadeira experiência sensorial como não vemos em muitos sítios cá no Porto e chega mesmo a ser um bocadinho... cruel!

A ementa, dividida em três, contempla pratos dos mais medrosos aos mais cruéis sem esquecer que há lugar também para os cautelosos. No menu medroso, podemos encontrar pratos mais confortáveis, de certa forma mais ligados à nossa cozinha portuguesa, com o bacalhau e o naco de novilho a fazerem as honras da casa. Já o cauteloso é o menu indicado para quem quer experimentar algo diferente mas não tem toda a coragem para seguir para o patamar seguinte sendo a francesinha à diávola a rainha desse menu. Nós, como somos mulheres de muita coragem, achamos que devíamos cingir-nos ao menu que dá nome ao restaurante: cruel. Mas coragem à parte, ficámos logo com algum receio quando percebemos que a entrada que queríamos muito experimentar iria causar em nós uma experiência de quase morte, com a boca dormente e a língua a salivar como nunca sentimos. Foi depois dessa descrição que percebemos que o conceito de crueldade era mesmo para ser levado a sério e achámos por bem deixar de lado o carpaccio de novilho com flor eléctrica e pesto.


De couvert foram servidas umas manteigas caseiras, aromatizadas, muito boas, acompanhadas de azeitonas com um toque de crueldade delicioso: a malagueta.
Depois disso arriscamos tudo numa salada de couscous com malagueta escondida e um novilho crú(el) que é como quem diz um bife tártaro. E conseguem ver aquelas duas folhinhas verdes tão lindas pousadas em cima do bife? Não estão lá para enfeitar, não. São folhas de jambu. Fomos aconselhadas a comer uma folhinha cada uma, mastigar muito bem com os dentes da frente, com os dentes de trás, e só depois começar a comer. Fomos também aconselhadas a filmarmo-nos uma à outra, asseguraram-nos que nos íamos rir muito... e devíamos ter filmado! Não o fizemos porque por algum motivo achámos que seria um disparate!

Eu, super corajosa, morro de medo de deixar de sentir alguma parte do corpo (anestesias e afins fazem-me imensa confusão!) e o meu instinto disse-me correctamente para deixar a Luísa ser a cobaia desta experiência... assim foi! Entre caras feias da folha de jambu saber precisamente a folha, seguiram-se sequências de palavras enroladas numa língua adormecida. Criem a imagem na vossa cabeça, nós deixamos já que vídeo não temos para vos mostrar! Depois de tamanha fita enchi-me de coragem e experimentei um bocadinho. Se a sensação de dormência e salivação foi esta com a folha de jambu, imagino a experiência de quase morte da flor eléctrica...







Mas foi na sobremesa que quisemos acalmar tamanha crueldade e fomos do mais medrosas possível: espuma de baba de camelo com maçã caramelizada e amêndoas merengadas. E não, a folhinha que vêem na foto não era de jambu, era de hortelã, estávamos no menu seguro! :)
Esta foi sem dúvida a melhor forma de terminar a refeição, duvido até que seja possível lá voltar e escolher uma sobremesa que não esta. A maçã caramelizada no fundo do frasco vinha ainda quentinha, com a espuma leve da baba de camelo e as amêndoas merengadas e pepitas de chocolate foi a combinação perfeita.

m.*

Cruel Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

1 comentário:

  1. Depois desta publicação de fazer crescer água na boca, de certeza que hei-de lá ir muito em breve. :)

    ResponderEliminar

© dois igual a três - 2013. all rights reserved. Tecnologia do Blogger.