quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Mercearia da Vila.

Nunca escondi o meu entusiasmo pelos corações à volta do dia dos namorados. Sou uma entusiasta da magia à volta deste dia (sou basicamente entusiasta de colocar magia em qualquer dia), mas desenganem-se se acham que por isso alinho no consumismo típico da época. Tal como a R dizia aqui , também eu sou contra ir para filas de cinema, restaurantes repletos de mesinhas a dois e muito menos de gastar um cêntimo num presente especialmente para esse dia.
Já há muitos anos que o meu jantar de São Valentim se faz por casa e que o presente não passa de um postal. 
Este ano como o dia dos namorados calhou a uma sexta-feira, decidimos fazer uma extensão dele para o fim-de-semana e ir passá-lo a um sítio giro. Recolhemos algumas sugestões e opiniões de amigos e a escolha recaiu sobre a Mercearia da Vila em Ponte de Lima, que nem de propósito era uma das sugestões de escapadinhas Low Cost da Revista Sábado deste fim de semana.


Ponte de Lima não é longe, a viagem é rápida e o acesso é ótimo. Confesso que nunca tinha ido a Ponte de Lima sem ser nas Feiras Novas, o que fez com que se tornasse num local quase que desconhecido para mim. A vila fica irreconhecível na altura das festas, por isso posso considerar que esta foi mesmo a minha primeira ida à Vila de Ponte de Lima.


O Sol decidiu aparecer para iluminar estes dias. Voltar a sentir uns raios de Sol foi essencial para recuperar energias, a par de uma vila cheia de recantos lindíssimos, de uns rojões e um sarrabulho soberbos e acima de tudo de um hotel que é um autêntico pedaço de céu.


A Mercearia da Vila é uma espécie de viagem no tempo!
O negócio de mercearia que ali existia, começou em 1906 pelas mãos do tio-avô do Eng.º Rodrigo Melo, atual dono da casa. Foi por ele que fomos recebidos logo à chegada, e foi ele mesmo que fez questão de se despedir de nós na hora da partida. Do espaço original ainda restam os móveis, balanças, almofarizes, moinhos de café e até guilhotinas de cortar sabão.  
É nesse espaço que se situa a receção do hotel e a sala de pequenos almoços que é também um café aberto ao público em geral.
Os 6 quartos dividem-se pelos restantes 3 pisos da casa.
O "quarto do sótão" como lhe chamaram, de nome "quarto do açúcar" foi o que escolhemos e não precisa de descrições. As imagens que se seguem falam por si...









Foram dois dias de puro descanso, num dos quartos mais bonitos que alguma vez visitei, e com um pequeno almoço repleto de delícias caseiras como raramente se encontra.
Um sítio que agora entendo porque me recomendaram e que também recomendarei sempre!
Claramente um sítio a repetir!

L.<3

Sem comentários:

Enviar um comentário

© dois igual a três - 2013. all rights reserved. Tecnologia do Blogger.