quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Há duas sem três: Febre de São Valentim.

Nesta altura do ano é impossível passar ao lado da loucura que se instala: a febre de São Valentim.
Ao contrário da Marta e da Luísa, que já entraram em "modo coração", não faço contagem decrescente para o Dia dos Namorados, nem planos românticos (coisa que o meu namorado agradece imenso).

Considero-me romântica q.b.. Não sou de grandes festejos e euforias, é certo, mas celebrar o amor não me parece mal.

O grande problema, para mim, é a loucura que se instala (e que nada ajuda ao romantismo do dia!). 
Não há paciência para restaurantes sobrelotados (com filas de quilómetros), cinemas cheios, promoções a dois e lojas repletas de corações felpudos, peluches gigantes e tudo o que existir em forma de coração (ou vermelho, também dá).

Não tenho nada contra corações, mas a verdade é que prefiro festejar o Dia dos Namorados noutros dias, dividido em vários dias do ano. Prefiro não ter uma data marcada. Um bom jantar, um fim-de-semana num sítio que gostamos, ou uma surpresa, e lá vai mais um Dia dos Namorados!

Para quem gosta de festejar o amor, espero que não seja só neste dia!
Quanto a mim, até sexta-feira convivo com o São Valentim. Arruma-se tudo dia 15.

R. 


P.S.- A propósito de corações (e não só), aproveito para vos deixar aqui o link onde podem ver o trabalho fantástico da Ana Aragão, uma arquitecta que passa para o papel as cidades do seu imaginário.

2 comentários:

  1. Olá R! Não podia concordar mais! Vê o meu post de ontem sobre o mesmo tema :-) http://mulhermesmodesonho.blogspot.pt/2014/02/o-cupido-acertou-nos-zombies-e-agora.html
    Adorei o trabalho da Ana!

    ResponderEliminar
  2. A minha esposa gosta muito do trabalho da Ana Aragão. Podem ver alguns trabalhos dela no mercado do bom sucesso.

    ResponderEliminar

© dois igual a três - 2013. all rights reserved. Tecnologia do Blogger.